Licenciatura da UFPR Jandaia constrói tradição de formar pesquisadores

Egressos/as do curso de Licenciatura em Ciência Exatas tornam-se mestres e iniciam doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática

 

A última semana de 2022 foi de boas notícias para a Licenciatura em Ciências Exatas e para o campus avançado da Universidade Federal do Paraná em Jandaia do Sul: seus ex-alunos, Guilherme Henrique Correia Domingues, Camila Bonini Araújo Cassoli e Leonardo Deosti foram aprovados em processos seletivos para iniciarem seus doutoramentos na área de Ensino de Ciências e Educação Matemática. Camila e Leonardo serão alunos da Universidade Estadual de Maringá, no Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência e a Matemática, enquanto Guilherme seguirá seus estudos na Universidade Estadual de Londrina, no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática – programa com a nota máxima na CAPES.

Estas conquistas fazem parte de uma tradição do campus Jandaia e do curso de Licenciatura em Ciências Exatas, que já possui vários egressos com Mestrado concluído ou em andamento. Todos estes alunos também são docentes em suas áreas de conhecimentos e desde formados atuam profissionalmente como professores nas redes pública e privada. Lucas Ribeiro Viana, por exemplo, já é mestre pelo PPGECM da UFPR. Thayná Felix concluiu o mestrado pelo PRPGEM da UNESPAR. Daiara Calvo Blasques e Gabrielly Senes são alunas do PCM/UEM. Lucilene Sebastião defendeu sua dissertação recentemente e Ana Suellen Gomes está prestes a concluir o mestrado pelo PECEM da UEL.

Para o coordenador do curso, professor Marcelo Valério, a aprovação de vários estudantes em programas de pós-graduação bem avaliados tem relação com a boa formação oferecida pelo curso, claro, e com a dedicação e interesse destes alunos pelas ciências da educação: “Todos foram estudantes muito comprometidos nas disciplinas pedagógicas e que demonstraram muita dedicação nas disciplinas de práticas e estágios, de modo que se tornaram profissionais capazes de refletir criticamente e criar alternativas coerentes no campo da educação e do ensino de ciências e matemática”. O professor salienta, ainda, sua satisfação com o fato de que estes estudantes não buscaram a continuidade da carreira de pesquisa acadêmica como alternativa à sala de aula, mas sim, como complementar. Ele pondera: “É muito bonito ver que todos eles foram também para a educação básica, implementando suas reflexões pedagógicas naquilo que escolheram ensinar – química, física ou matemática”.

Recentemente, vários/as professores/as do curso têm convidado estes/as egressos/as para participarem de aulas e seminários de suas disciplinas, valorizando suas belas trajetórias formativas. Para a professora Bárbara Cândido Braz, da área de Matemática, “as contribuições que eles/as trazem, a partir de suas pesquisas, têm sido ricas e motivadoras, estimulando os/as graduandos/as que ainda estão iniciando sua história da Licenciatura a, quem sabe, manterem a tradição”.