Métodos Contraceptivos


 

Métodos contraceptivos (ou anticoncepcionais) são meios de evitar a gravidez, mantendo uma vida sexual ativa e saudável. No Brasil, o SUS disponibiliza gratuitamente vários desses métodos, como os preservativos masculino e feminino, os anticoncepcionais orais (pílulas), os injetáveis, os DIUs e até mesmo a esterilização cirúrgica.

Falaremos hoje dos métodos mais utilizados em nosso país.

 

Preservativo masculino

Um dos mais populares, o preservativo masculino evita a gravidez (se utilizado corretamente), bem como dirime as chances de infecção por ISTs (gonorreia, clamídia, tricomoníase, sífilis, hepatite B e HIV). E como se usa corretamente o preservativo?

 

Algumas considerações importantes:

* O pênis deve estar ereto para que a “camisinha” seja colocada;

* Retire a “camisinha” imediatamente após a ejaculação, ainda com o pênis ereto;

* Armazene a “camisinha” em locais frescos e secos. O porta-luvas do carro não é um bom local de armazenamento, pois pode atingir altas temperaturas, o que pode estragar o material do preservativo, reduzindo muito a sua eficácia como método contraceptivo.

* Preservativo tem prazo de validade, não o utilize se estiver vencido;

* Leia a embalagem de possíveis lubrificantes para ter certeza de que não reagem com o material da “camisinha”, reduzindo sua eficácia;

* Preservativos de látex (que são a maioria) podem ser lubrificados com glicerina, silicone, gel à base de água, mas não com derivados de petróleo, óleo mineral ou vegetal, vaselina;

* Jamais utilize uma camisinha masculina junto com uma feminina no mesmo ato sexual. O atrito entre ambas pode rompê-las.

 

Preservativo feminino

A “camisinha” feminina é maior e mais larga do que a masculina e, ao contrário dessa última, pode ser colocada antes do ato sexual (até 8 horas antes). Assim como a masculina, diminui o risco de ISTs. Veja na foto o modo correto de uso:

 

 

Dispositivo intrauterino (DIU)

O DIU é um dispositivo pequeno colocado dentro do útero pelo médico ginecologista. Seus efeitos na anticoncepção se devem ao fato de ele: 1) bloquear a passagem do espermatozoide, impedindo-o de atingir o óvulo; 2) interferir na mobilidade do espermatozoide, deixando-o menos eficaz; 3) promover alterações no endométrio, tornando-o inapto a receber o embrião.

O DIU pode permanecer no corpo da mulher por 5 a 10 anos, a depender do material. Após esse tempo, se assim desejar, a paciente pode colocar um novo dispositivo.

O DIU pode conter cobre ou hormônio. No caso do último, ocorre liberação gradual de hormônio diretamente dentro do útero da paciente.

(DIU representado em vermelho na imagem)

 

Pílulas anticoncepcionais

Os anticoncepcionais orais (ACOs) são o método contraceptivo mais utilizado no mundo. No Brasil, estima-se que 27% das mulheres em idade fértil utilizem-nos.

Eles contêm pequenas quantidades de progesterona e de estrogênio e funcionam bloqueando a ovulação, que é o processo de saída do óvulo do ovário em direção à trompa uterina. Se não há ovulação, não há óvulo para o espermatozoide fecundar e não há gestação.

 

Uso correto das pílulas

Ingerir uma pílula por dia, de preferência no mesmo horário.

Respeitar o período de pausa entre uma cartela e outra, que pode variar de 4 a 7 dias, a depender do anticoncepcional. Os ACOs com cartelas de 28 comprimidos não necessitam de pausa.

Os ACOs apresentam benefícios que não somente a contracepção. Por exemplo, eles regularizam o ciclo menstrual, dirimem a cólica menstrual, reduzem a incidência de gravidez ectópica (fora do útero), de câncer de endométrio e de ovário, de algumas doenças das mamas e de miomas uterinos.

 

E se eu esquecer de tomar a pílula?

→ Se você esqueceu só a pílula do dia anterior, tome-a assim que lembrar e tome também a pílula do dia em questão, no horário de sempre.

→ Se você esqueceu de tomar mais de uma pílula, continue ingerindo uma por dia no horário de sempre, mas use camisinha em suas relações sexuais pelo período de sete dias.

 

Adesivos

Os anticoncepcionais em formato de adesivo agem da mesma forma que os ACOs, porém são mais práticos em seu modo de uso. Devem ser aplicados a cada 7 dias, por 3 semanas consecutivas; na quarta semana, deve-se fazer uma pausa (não aplicar o adesivo), reiniciando após 7 dias.

Algumas considerações importantes:

– Aplicar o adesivo em pele limpa e seca;

– Fazer rodízio semanal nos locais de aplicação (parte inferior do abdome, braço, parte superior das nádegas, parte superior das costas);

– Não aplicar nas mamas ou em locais onde a pele esteja avermelhada, inchada ou machucada;

– Não cortar o adesivo;

– Não passar cremes ou loções no local do adesivo.

 

Injetáveis

Os contraceptivos injetáveis funcionam da mesma forma que os ACOs e os adesivos, com exceção do modo de aplicação, que é por meio de injeção, a cada 1 ou 3 meses, a depender do tipo.

 

Existem contraindicações para uso de métodos contraceptivos?

Sim, para cada tipo de método, existe uma lista de contraindicações, por isso, jamais utilize um contraceptivo simplesmente porque algum colega te indicou. Consulte um ginecologista e use o método mais adequado à sua situação. Além das contraindicações, existem medicamentos que interferem na eficácia dos anticoncepcionais, e isso também deve ser levado em conta antes da escolha do melhor método.

 

Os métodos contraceptivos podem produzir efeitos colaterais?

Com certeza, por isso muitas vezes a mulher tem que passar por um ou outro método até encontrar o mais adequado a seu caso.

Alguns dos efeitos colaterais são: dor de cabeça, náuseas, sangramentos menstruais irregulares, cólicas, sensibilidade ou dor nas mamas, ganho de peso, acne, dentre outros.

 

Contracepção de emergência (“pílula do dia seguinte”)

É um método contraceptivo de exceção, que pode ser usado após intercurso sexual desprotegido. São comprimidos que contêm hormônios, mas em quantidades maiores do que os ACOs. Devem ser tomados em até 72hs após a relação sexual, caso contrário não surtirão efeito. Esse tipo de método não deve ser usado de rotina, pois sua taxa de falhas é muito maior do que os dos métodos rotineiros, descritos acima. Os efeitos colaterais incluem náuseas, vômitos, tontura e dor de cabeça.

 

Anticoncepcional masculino

Em 2020, pesquisadores indianos anunciaram a criação de uma forma injetável de contraceptivo masculino. Ele teria efeito garantido por 13 anos, mas seria reversível a qualquer momento, caso esse fosse o desejo do paciente.

Em 2021, uma pesquisadora alemã foi premiada por inventar um método contraceptivo masculino baseado em ultrassom.

No momento, não há métodos masculinos disponíveis no mercado, mas pesquisas neste campo mantêm-se presentes no meio científico. Sendo assim, talvez tenhamos que atualizar essa parte do texto em breve para apresentar-lhes um novo método!

 

Autoria: Tayná

Fevereiro/2022

Fontes:

Manual de Anticoncepção da Febrasgo, 2015

Tratado de Ginecologia, Berek & Novak, 15ed

https://pebmed.com.br/primeiro-anticoncepcional-masculino-sera-lancado-em-2020/

https://www.uol.com.br/tilt/noticias/redacao/2021/10/18/banho-nos-testiculos-alema-cria-contraceptivo-masculino-e-ganha-premio.htm

Imagens disponíveis em:

<http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/prevencao-combinada/usar-preservativos-masculinos-femininos-e-gel-lubrificantes>

<https://www.uol.com.br/vivabem/colunas/larissa-cassiano/2021/04/27/tipos-de-diu.htm>

<https://br.freepik.com/vetores-gratis/colecao-de-metodos-de-contracepcao_9882831.htm#query=contraceptive&position=9&from_view=search>

<https://br.freepik.com/fotos-gratis/mao-de-uma-mulher-segurando-um-painel-anticoncepcional-para-evitar-a-gravidez_5096898.htm#query=contraceptive&position=41&from_view=search>